Os ‘bonecos’ da Comunicação no futebol

separator

Trabalhar com estratégia sim, mas com autenticidade

O conteúdo verbalizado por Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, não foi de todo feliz e educado, mas levanta um tema há muito debatido neste setor.

Qual o papel dos Assessores de Comunicação na mensagem que cada clube transmite? Estarão de facto os Assessores a desvirtuar a autenticidade dos treinadores, a trabalhar as emoções dos jogadores nas entrevistas… de facto, em alguns intervenientes isso transparece, não na ideia infeliz do ‘boneco’ mas sim na hesitação do discurso, na repetição (que sabemos é a chave para veicular a mensagem) das frases e na ‘pescadinha de rabo na boca’ de algumas entrevistas.

De facto a comunicação deve ser trabalhada com estratégia para se traduzir em eficácia, mas sem nunca deixar de parte a autenticidade, as emoções, o ‘eu’, a história e os seus sentimentos verdadeiros. Essa deve ser a essência da comunicação em qualquer marca, só depois vem o resto. A perceção não pode ultrapassar a realidade e o protagonismo nunca pode ser do estratega (leia-se Assessor de Imprensa), mas sim do protagonista!

Mais ainda quando falamos de futebol, o Rei das emoções.