ACEITAR O ERRO COM HUMILDADE

separator

Muito se fala da importância dos recursos humanos. São de facto e sem sombra de dúvida o bem mais valioso de uma organização. Na Essência Completa tenho a responsabilidade e a honra de liderar uma equipa de excelência. Questionada se a equipa falha, respondo com gratidão, e muito respeito pelas minhas companheiras nesta viagem essencial, que sim. Também por isso somos boas profissionais. Falhamos. O erro é humano. Um bom profissional distingue-se quando aceita com humildade a condição de estar sujeito ao erro. A falta de profissionalismo está em não se permitir errar. Em assumir-se como “ser iluminado” que nunca falha. O bom profissional tem a humildade de aceitar o erro como um processo de crescimento e é capaz de se responsabilizar pelo mesmo e pela sua resolução. Na prática da minha actividade, entendo que errar é humano. A capacidade e a sabedoria de o assumir e conseguir encontrar a solução é o que distingue os bons profissionais.

Quando errar é desumano. Gerir equipas exige também a difícil sabedoria para distinguir o parceiro que relaxado, perfeitamente adaptado à sua zona de conforto, erra por desonestidade intelectual, por se assumir como tomador, por ingratidão, por laxismo, por comodismo, por entender que o caminho do qual deve usufruir deve ser caminhado por outros. Por simplesmente delegar nos outros a responsabilidade de o fazer um profissional de sucesso … Errar assim é desumano. É injusto para as equipas quando o gestor não distingue a natureza do erro.

Isabel Martins, Diretora Geral

(Artigo original no LinkedIn)